Imprensa

Holding de ecosystem builder conta com mais de 40 parceiros e quer movimentar mais de  R$ 250 milhões até 2022

 

Egrégora chega para inspirar empreendedores, criar novas oportunidades de negócios para investidores e fomentar economia

 

Inovação e empreendedorismo devem caminhar lado a lado, sendo uma combinação poderosa para o desenvolvimento socioeconômico regional. Quanto maior é a energia investida em negócios inovadores, maior é a competitividade, o aperfeiçoamento de produtos e serviços e, consequentemente, a oportunidade de criar mais postos de trabalho.

 

O resultado imediato é a ampliação do valor econômico das regiões, o que incentiva que mais pessoas possam dar vida a seus sonhos. Para criar esse impacto positivo, primeiramente na região da Baixada Santista e depois no restante do país, surgiu a Egrégora, uma construtora de ecossistemas de cultura e inovação, que conecta criativos e empreendedores aos possíveis investidores para que essas ideias saiam do papel e possam transformar a comunidade de forma positiva. 

 

“Nascemos em um momento que sentimos um chamado de alma para ressignificar a vida e o mundo. Acreditamos na abundância e somos inspiradas pela verdadeira energia do sagrado feminino, com toda a sua potência, intuição, magia e criatividade”, explica José Thomaz, fundador e idealizador da Egrégora, e atua ainda como Diretor Adjunto da CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e Conselheiro Municipal em Santos (SP). 

 

Oportunidade para quem “sonha grande” e visa crescimento sustentável

 

Em um mercado que valoriza cada vez mais a inovação, a Egrégora atua como uma facilitadora para empreendedores com boas ideias e disposição para se diferenciar. Suas frentes de atuação são voltadas a Gestão de Fundos e Investimentos, Serviços Financeiros, Tecnologia, Inovação, Esporte, Cultura e Educação. 

 

Atualmente, o ecossistema da Egrégora é formado pelas empresas Nísia, P.alma, Manacá e Ficus e mais de 40 sócios, cada um com um papel específico na rede de difusão de cultura, inovação e empreendedorismo criativo.

 

E o próprio fundador é um exemplo desse espírito de criação da Egrégora . “Em minha carreira, tive a oportunidade de fundar um banco, ser head de uma construtech, mas nunca deixei de lado o meu sonho de empreender em algo diferente, em criar um ecossistema de inovação inclusivo, isonômico e sustentável e quando surgiu a chance não pensei duas vezes”, afirma Thomaz. 

 

Com a aceleração na captação de investimentos para o desenvolvimento de novas startups, o intuito de Thomaz é conseguir movimentar R$ 250 milhões até 2022. E as expectativas não poderiam ser melhores, já que a holding reúne um portfólio promissor, com marcas como o Santos Futebol Clube. 

 

“Fomos responsáveis pela primeira chamada de startups do Santos Innovation Hub, e selecionamos projetos e empresas dentro de qualquer modalidade de esporte, não só o futebol”, conta Thomaz. 

 

Outra parceria importante é a criação e implantação de um centro de inovação de negócios Porto-Indústria, com um local pensado para gerar valor e competitividade por meio da inovação, em programas de open innovation e atraindo startups de software e hardware em programas de incubação, aceleração e desenvolvimento de negócios que atendam às demandas da indústria, logística e comércio exterior.

 

E essa é apenas uma pequena amostra do poder que uma construtora de ecossistemas tem para gerar capital com propósito, fazer a economia circular e dar voz a todos que precisam empreender ou tenham como investir neste polo de criatividade e inovação. 

 

“Nosso principal objetivo como holding é criar as condições adequadas para estimular o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico local, criando assim distritos de inovação para ajudar as pessoas e vencer os desafios regionais e nacionais”, finaliza Thomaz.

 

Egrégora Holding S/A

Share